NOTÍCIAS

 
DJI_0178.JPG

Águas de Porto Novo produz água dessalinizada através de uma central solar fotovoltaica de 55,4 kWp

A Águas de Porto Novo SA (APN) instalou uma central solar fotovoltaica de 55,4 kWp para produção de energia elétrica para autoconsumo na sua central de dessalinização de água do mar em Porto Novo, localizada na Ilha de Santo Antão, com financiamento do Projeto “Acesso a Energia Sustentável para Gestão de Recursos Hídricos: Nexo Energia-Água” promovido pelo Governo de Cabo Verde através da Direcção Nacional de Indústria, Comércio e Energia (DNICE).

Este projeto teve um custo total de 96.000 USD, incluindo a instalação da central fotovoltaica e a construção de um Posto de transformação de 250 kVA. A APN garantiu 70% do total dos custos e os restantes 30% foram suportados, através da modalidade “Grant”, pelo Projeto Nexo Energia-Água financiado pelo Fundo Global do Ambiente (Global Environment Facility (GEF) e implementado pela Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (ONUDI).

A elaboração do projeto esta devidamente alinhado com a estratégia nacional de transição energética e da descarbonização da economia definida no Programa Nacional para a Sustentabilidade Energética (PNSE) que é a aposta cada vez mais na integração das energias renováveis no processo de dessalinização de água no país permitindo assim atingir a sustentabilidade do setor hídrico, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a mitigação dos gases com efeito de estufa.

Estima-se, com a implementação do referido projeto, uma economia anual de combustível em cerca de 24 toneladas de Fuelóleo ou 28.000 litros de gasóleo e uma a redução de 62,8 tCO2 por ano nas emissões de GEE o que representa uma estimativa de emissões evitadas de 1.256 tCO2 durante os 20 anos de vida do sistema.

A central fotovoltaica dispõe de 144 módulos fotovoltaicos monocristalinos-PERC com capacidade nominal de 385 Wp, incluindo sistema de suporte de painel solar em alumínio, inversor, sensores e um contador bidirecional. Inclui ainda um sistema de gestão e monitorização de energia que permite otimizar o autoconsumo fotovoltaico, mede a produção fotovoltaica, a energia elétrica adquirida e injetada na rede, e fornece uma visão geral de todos os fluxos de energia relevantes no APN. Em plena operação da central estima-se atingir uma produção anual de energia elétrica de 101 MWh.

Caso pretende saber mais sobre o projeto, pode consultar o caso de estudo completo aqui.